Comidinhas para pegar com as mãos!

Faz algum tempo que tenho o costume de oferecer à Giulia comidinhas que ela possa comer com as mãos: pedaços de pão, frutas, pedacinhos de carne, bolinho de arroz, etc.

Ela adora comer sozinha (como qualquer bebê da sua idade) e eu acho super importante incentivá-la! Creio que logo logo ela terá a coordenação motora necessária para usar os talheres, mas enquanto isso não acontece deixo ela se divertir com as próprias mãos.

Pelo o que andei pesquisando, é fundamental a criança passar por esse processo, pois além de incentivar o apetite, pela descoberta das diferentes texturas dos alimentos, ajuda no seu desenvolvimento motor fino.

É claro que alguns cuidados devem ser tomados, como: não deixar a criança comendo sozinha, sem supervisão e não oferecer pedaços muito grandes, evitando o risco dela se engasgar.

Aqui em casa, hoje em dia, não me preocupo tanto com o tamanho do alimento, a Giulia mastiga super bem (já tem doze dentinhos) e quando coloca um pedaço muito grande na boca e vê que não vai conseguir comer, logo cospe fora. Então vai de cada mãe perceber e respeitar o tamanho da boquinha do seu filho, bem como sua capacidade de mastigação.

Os alimentos saudáveis (os verdadeiros Fast food) que mais fazem sucesso aqui com a baixinha são:

  • Tomate uva – Sweet Grape – Esse eu costumo cortar na metade para evitar engasgos, não pelo tamanho, mas pelo formato e por deslizar na boca muito fácil! Sem dúvida, é o alimento que a Giulia mais ama nessa vida (tirando o leitinho da mamãe, é claro!). hahaha!

tomate uva

  • “Arvorezinha” de Brócolis Japonês

Brocolis-Japones

  • Uva – Sem caroços e cortada ao meio para evitar engasgos

uvas

  • Cenoura em palito (levemente cozida)

cenoura palito

  • Uvas passas – Ela ama! Pega com os dedos e come bem bonitinho! Mas já ouvi falar que é meio perigoso, que o risco de asfixia é alto! Será? Se for parar pra pensar, nenhum alimento é seguro…rs!

Uvas passas

  • Ervilhas Congeladas – que eu descongelo para oferecer a ela, é claro! rs

ervilhas-congeladas

  • Ervilha Torta

ervilha torta

  • Morangos

morangos

Existe mais uma infinidade de alimentos que ela come com as mãos, mas esses são os preferidos!

E vocês, também incentivam os bebês a comerem com as mãos? E quais os alimentos preferidos deles?

5 pessoas curtiram.

Alimentação Infantil

Alimentação Infantil
Quem nos acompanha no Facebook deve ter percebido que essa semana postamos algumas dicas de alimentação infantil. Já que estamos no clima da alimentação saudável procurei uma amiga minha que entende do assunto e fiz algumas perguntinhas sobre alimentação de bebês. Confiram!
  • Quando e como as preferências alimentares são adquiridas?

Nos primeiros anos de vida as crianças são capazes de aprender a gostar de determinados alimentos e suas experiências dietéticas começam a se individualizar. As sensações do paladar são importantes na formação das preferencias alimentares e os padrões da seleção de alimentos desenvolvem-se ainda no inicio da vida, sendo fortemente influenciados pelos hábitos culturais e familiares.

Desde a gestação o feto já aprende sobre os gostos e sabores, que são transmitidos pelo liquido amniótico. Em seguida o lactente recebe o leite materno que é composto de diferentes cheiros e sabores, refletindo diretamente os alimentos ingeridos pela mãe. Portanto, ao receber o leite materno o bebe entra em contato com experiências sensoriais e mostram preferencias por sabores a que foram expostos repetidamente durante os períodos pré e pós-natal. As diferenças individuais que cada criança apresenta ao preferir determinado alimento são características do temperamento da criança.

  •  Porque é importante estimular uma alimentação saudável desde bebê? 

O comportamento alimentar durante a infância é importante para o crescimento e desenvolvimento da criança e ocupa também um papel fundamental na prevenção e tratamento de algumas doenças na fase adulta. A promoção de uma alimentação saudável deve ocorrer com relevância nos primeiros anos da infância a fim de que permaneçam ao longo da vida, visto que a mudança dos hábitos alimentares durante a fase adulta apresenta elevadas taxas de insucesso.

  •  Que fatores influenciam na formação do hábito alimentar?

Os pais são especialmente responsáveis pela formação dos hábitos alimentares dos filhos, fornecendo amplo aprendizado à criança. A promoção da alimentação saudável é influenciada pelas refeições em família uma vez que estas representam um importante evento nas interações familiares.

O contexto social pode interferir na estrutura das refeições de maneira positiva ou negativa, manifestando-se através da aquisição de gêneros alimentícios, da religião e da cultura.

A maior influencia ambiental para a criança na formação de seus hábitos alimentares é a família. Em especial, as interações alimentares ocorridas entre mãe e bebê em seu primeiro ano de vida são consideradas muito importantes no relacionamento maternal, por desenvolver capacidades sócio-emocionais. Tais experiências alimentares precoces podem estabelecer preferencias de sabor e escolhas que auxiliam no crescimento e desenvolvimento infantil.

  •  O bebê sente o gosto de alimentos através do leite materno?

Sim. Desde a gestação o feto já aprende sobre os gostos e sabores, que são transmitidos pelo liquido amniótico. Após o nascimento, o lactente recebe o leite materno que é altamente rico em sabor e os sabores refletem diretamente os alimentos consumidos pela mãe, fornecendo ao lactente uma rica fonte de experiências sensoriais. Dessa forma, o aleitamento materno oferece a criança experiências sensoriais que facilitam a aceitação de uma alimentação complementar diversificada e equilibrada, para que a criança possa formar hábitos alimentares saudáveis.

  •  Dei um alimento novo ao meu bebê, mas ele fez cara feia e parece que não gostou, devo insistir?

Sim, é importante que a criança experimente o alimento, mesmo em quantidade mínima, a fim de aumentar a aceitação do sabor. Com o intuito de reduzir a neofobia alimentar (aversão em ingerir novos alimentos), deve-se realizar a exposição repetida a determinado alimento, a fim de aumentar a sua ingestão.  As expressões faciais realizadas pelas crianças durante a alimentação fornecem informações relevantes aos pais, que devem continuar a fornecer determinado alimento mesmo quando a criança expressar desgosto. Oferecendo repetidamente alimentos saudáveis, os pais estão contribuindo de maneira acentuada para a formação dos hábitos alimentares saudáveis de seus filhos que serão realizados na idade adulta.

  •  Ouvi dizer que é preciso oferecer o alimento no mínimo 8 vezes para a criança antes de poder dizer que ela realmente não gosta daquele alimento, é verdade?

Sim. A fim de reduzir a neofobia alimentar novos alimentos devem ser oferecidos diversas vezes para que a aceitação ocorra de maneira natural entre as crianças. Essa aceitação aumenta através de repetidas exposições, que variam entre oito até quinze vezes. Este modo de introduzir novos alimentos na alimentação infantil funciona com sucesso durante o final da lactância, antes que a criança apresente maior autonomia.

 

   DANIELA MARTINEZ  

Estudante de Nutrição – 6º período – UFPR

Caso vocês tiverem alguma dúvida é só deixar nos comentários aqui que a Dani responde!

Mas e aí mamães, como anda a alimentação dos seus filhos?

Uma pessoa curtiu.