Só quem tem filhos consegue entender como é difícil…

filhos

  • Levar a criança junto para certos tipos de programa – Além das tralhas que precisam ser carregadas, muitas vezes a criança não se comporta da forma desejada. A Giulia, por exemplo, tá numa fase de mexer em TUDO! Então se a levo na casa de amigos ou parentes é um corre – corre pra não deixá-la abrir as gavetas do rack, mexer e arrancar as plantinhas do quintal, puxar a toalha da mesa, etc;
  • Fazer qualquer programa sem a criança, afinal é necessário deixá-la sob os cuidados de outra pessoa. Isso inclui deixar recomendações, leite e/ou comidinhas separadas e, se a pessoa não for até a sua casa, levar a criança até o local;
  • Não falar o tempo todo sobre as novidades do bebê – Nossa, isso é muito difícil! Sempre que eu saio de casa pra encontrar amigos eu digo pra mim mesma: Hoje não vou ficar falando de filhos. Mas aí quando eu vejo, já é tarde demais… É Giulia pra cá, Giulia pra lá e eu só falei de como é a nossa rotina, como é tudo lindo, maravilhoso, mas também muito difícil, como ela tá cada dia diferente, e por aí vai. Meus amigos (que não têm filhos) devem estar amando essa minha diversidade de assunto, só que não! Hahaha;
  • Ser pontual – Desde que a Giulia nasceu não consigo mais ser pontual. Eu tento com todas as minhas forças. Mas não consigo;
  • Se programar para se encontrar com os amigos – Primeiro que a vida social normalmente vai pro espaço. E segundo… Se programar? A vida de mãe é tão imprevisível que a gente mal consegue se programar pra ir à esquina comprar pão;
  • Manter a casa limpa – Ah, isso aí é só para Mulher Maravilha… porque as mulheres-mães da vida real, pobres mortais, não conseguem dar conta de tudo não. Tudo bem que com um pouco de organização você consegue deixar o negócio mais ou menos ajeitado, mas se olharem debaixo do tapete…ixiiii;
  • Receber visitas sem aviso prévio – Tem muita relação com o item acima! Gente, tem dias que isso aqui, vulgo minha casa, tá um caos: Brinquedos espalhados, roupas espalhadas, montanha de louça na pia… Fora a criaturinha aqui que vos fala: pijama velho, cabelo estilo black power, olheiras absurdas… Imagina a campainha tocar bem nesse dia? E vai dizer que não rola uma Lei de Murphy? É igualzinho quando a gente sai toda horrorosa e encontra alguém conhecido! É pracabá.

E aí, o que mais vocês acrescentariam?

7 pessoas curtiram.

Psicóloga. Apaixonada por cinema, viagens, gastronomia e decoração. Mamãe da Giulia.

Comentários

  1. Náy Diz::

    No meu caso, a Sofí ainda nem nasceu e só falo nela.rsrsrsr.Até a minha irmã, que também será mamãe dentro de alguns meses diz que estou chata, que só falo em bebês e coisas de bebês.Imagine só quando a bebezinha nascer, hein?rsrsrs

  2. Jacqueline Diz::

    Pra começar me identifico muuuuito com os seus posts..rss Aqui em casa é igualsinho,me consola saber que não sou a unica.Às vezes acho q sou desleixada e tal, mas tem dia que não dá msm. fica tudo uma zona…rs Como essas criaturinhas tão pequenas nos consome tanto tempo e energia né?mas no fim tudo vale a pena, um carinho dessas fofuras faz a gente esquecer como foi dificil o dia…. Que sigamos nessa luta ,um dia a gente dorme de novo,se arruma de novo e põe tudo em ordem de novo…. espero…..

  3. Diz::

    É assim mesmo, não tem jeito. Estou gravida do meu segundo bebe e com certeza aprendi muito com o primeiro, acredito que não vou ficar tão desesperada em ver a minha casa virada de cabeça pra baixo e vou aproveitar mais e melhor essa criaturinha que está chegando.
    Gente passa tão rápido essa fase da bagunça, essa fase que eles dependem de nós pra tudo… uma dica de mãe de segunda viagem… larguem tudo e todos e aproveitem muito seus bebes..
    Sobre a questão da gente só falar no assunto… amigo que é amigo escuta e compreende, não tem como não falar nos bebes.. a nossa vida é preenchida pelo amor, dedicação, preocupações e tudo que vem com a espera e o nascimento dessas bençãos…
    Quando tive meu primeiro filho eu e meu marido vivíamos a nossa vida, separado do mundo kkk, porque moramos longe da nossa família e os amigos não tinham filho, foi complicado, até nos acostumarmos a não ter vida social… mas agora já nos acostumamos e trocamos qualquer evento pela nossa casa, a companhia maravilhosa do meu marido e meu filhote, assistindo pela milésima vez qualquer desenho…kkk podem me achar maluca, mas quando estamos juntos a minha vida está completa.
    Por isso adoro conversar com outras mãe grávidas ou com filhos na mesma idade… o assunto flui melhor kkk E por isso adoro o Blog onde posso falar de filhos sem estar incomodando ninguém…
    bjos

    • Priscilla Diz::

      Verdade Jô, a gente acaba se aproximando mais de outras mães, justamente pelo fato de estarmos vivendo a mesma realidade e, portanto, termos assuntos em comum!
      Em relação ao segundo filho, imagino que deva ser mesmo bem mais tranquilo! A gente se cobra muito com o primeiro!
      Mas agora uma curiosidade…qual será a diferença de idade entre os dois quando o baby nascer?
      Pergunto isso, pq quero outro filho, mas não sei quando é o melhor momento para tê-lo. Se é que existe um momento ideal…rs
      Beijão querida.

  4. Cid@ Diz::

    Nossa me vi nesse post….Bom saber que não estou sozinha…hehhee

Deixe seu comentário

*