Relato da minha gravidez – Parte III

Com 27 semanas a Giulinha já estava na posição cefálica, de cabeça para baixo! Pensei: Opa! Tudo se encaminhando direitinho para o tão sonhado parto normal!

Com 28 semanas fizemos uma nova ultrassonografia e a pequena já não estava mais tão pequena assim! Já tinha 34cm e 1,070 Kg (Quando o baby chega a 1kg é muita emoção! Hahaha!).Quem conheceu ela como um gergelim, pensava: Meu Deus, como essa menina cresceu! Rs.

Nessa fase da gravidez (na verdade, acho que foi antes), comecei a sentir uma dor terrível na virílha que, por sinal, me acompanhou até o final! Era difícil dirigir, virar de lado na cama, subir escada, sentar, levantar…mas meu médico dizia ser normal, pois é o corpo se preparando para o parto, relaxando os ligamentos e articulações!

E se eu já andava igual a uma pata, depois que a dor começou então…

Com 31 semanas de gestação eu já tinha engordado 12 kilos (no total foram 16, mas acreditem, já perdi uns 19)! Eu sentia muiiiiiiita fome! Não tinha desejos, mas queria comer a toda hora! Só no final que isso mudou, afinal não conseguia comer quase nada de tanta azia que eu sentia! O que acontecia: eu comia, sentia uma queimação, a comida parecia que ficava entalada e um tempo depois lá estava eu colocando tudo pra fora. Meu médico tinha me receitado um remédio pra isso. Mas o remédio era muito nojento, era uma espuma branca, parecida com aquela que se forma quando escovamos os dentes! Ui! Não sei o que era pior: tomar o remédio ou ficar com azia!

Com 34 semanas fiz o Chá da Giulia (contei um pouquinho sobre as brincadeiras que fiz aqui nesse post). Um dia antes do chá, passei super mal…como nunca tinha passado antes, tirando aquela vez em que tive o cálculo renal, claro! Morri de medo de ter que cancelar o chá! Tive vômito, diarréia, calafrios e, pela primeira vez, fiz xixi nas calças! Isso mesmo, xixi nas calças! Haha! Foi uma sensação muito estranha, pois estava vomitando e comecei a sentir um líquido escorrendo pelas minhas pernas! Pensei: Meu Deus, será que minha bolsa rompeu? Hahaha! Não, era só xixi mesmo! A partir desse dia, comecei a me segurar um monte pra não passar vexame, pois em qualquer espirro ou gargalhada o xixi queria sair! Haha!

Esse relato tá meio nojento né? Eu sei, é que tô tentando ser o mais sincera possível. Mas prometo maneirar! Rs.

Com 35 semanas, cansada, com enjôos, asia, dor na virilha e nas costas, resolvi entrar com meu pedido de licença-maternidade na Sanepar e encerrei também as minhas atividades no consultório! Queria ficar só curtindo o finalzinho da minha gravidez e me preparando para a chegada da pequena. Ainda precisava resolver um monte de coisa, ainda tinham vários itens do enxoval pra comprar e eu precisava terminar de lavar e passar todas as roupinhas! Deixei um monte de coisa pro final! A maior burrice!

Aproveitei também para fazer o meu ensaio de gestante com a Camila antes que fosse tarde demais! Pra quem ainda não viu as fotos, é só clicar aqui! Eu simplesmente amei o resultado e adorei ter sido fotografada por uma grande amiga, uma pessoa que estava acompanhando minha gravidez de pertinho desde o começo!

Com quase 36 semanas fiz a última ultrassonografia e a Giulinha já estava com 45cm e 2.464 kg. Nessa altura do campeonato, comecei a me preocupar com o parto!

Diferentemente de muitas grávidas, eu nunca fiquei pensando em como seria esse momento. Nunca sofri por antecipação (em relação ao parto, que fique claro! Hehe)! Só tinha certeza de uma coisa: teria parto normal! Não natural (sem anestesia), porque daí já era demais! Haha!

Eu simplesmente ODEIO cirurgia, então eu não conseguia me imaginar fazendo uma cesariana!

O problema é que no final da gravidez, a cada consulta com o meu médico, a minha pressão ficava cada vez mais alta! Foi super estranho! Tive até que comprar um aparelhinho para monitorar em casa! Sentia muita dor de cabeça! O negócio foi tão sério que mesmo depois que a Giulia nasceu minha pressão continuou subindo e fui até parar no hospital por conta disso. E olha que minha pressão sempre foi super baixa!

Além do aumento da pressão, com 39 semanas a Giulinha não manifestava nenhuma vontade de sair da barriguinha da mamãe. Apesar de já estar virada, ainda não tinha encaixado…estava super alta (meu estômago que o diga)! Além disso, eu não tinha absolutamente NADA de dilatação e nunca havia sentido sequer aquelas contrações de treinamento – Braxton Hicks. Bom, era bem provável que eu entrasse em trabalho de parto tardiamente (super comum em primeira gestação) e os médicos não curtem muito deixar a gravidez se prolongar para além das 40 semanas, tanto pelo transporte de oxigênio que diminue nessa fase quanto pelo risco do bebê aspirar mecônio.

Pensando em tudo isso, meu médico me aconselhou a marcar a cesariana! Era melhor não arriscar! Mil coisas se passaram pela minha cabeça! Poxa, não era isso o que eu tinha planejado! E se meu médico estivesse sendo tendencioso? Afinal, é muito cômodo pro médico marcar dia e hora para realizar o parto! Mas e se ele estivesse certo e fosse arriscado esperar? E se acontecesse algo de ruim por causa da minha insistência?

Nossa, que situação! Conversei com minha mãe, meu pai, meu marido, amigos e decidi: faria a cesariana! Achei mais prudente confiar no médico, afinal são anos de estudo e experiência como obstetra, ele deveria saber do que estava falando né?!

Marcamos então para o dia 11/04/2012, faltavam dois dias para eu completar 40 semanas! A escolha da data não teve nenhum motivo especial, é que precisava ser numa quarta-feira, já que a melhor equipe do Santa Cruz (Hospital em que ganhei a pequena) estava sempre de plantão nesse dia!

Lembro que desde o dia em que marquei a cesária até o momento em que pisei no hospital, torci muito para entrar em trabalho de parto e a Giulinha nascer pelas vias naturais, mas infelizmente, nada aconteceu! Ela continuou alta e eu sem contração e dilatação!

Mas, apesar de tudo, confesso que uma parte de mim estava um pouco aliviada. Minha ansiedade era tão grande que só o fato de pensar que LOGO teria minha filha em meus braços já me tranquilizava. Não aguentava mais esperar! Imaginem se ela resolvesse dar as caras com 41 ou 42 semanas…eu iria enlouquecer até lá, fato! Hahaha!

Mas até hoje me pergunto se tomei a decisão certa. Será que não era melhor ter insistido no parto normal?

Lembro que logo depois que a Giulia nasceu ouvi indiretas (diretas, na verdade!) de pessoas contra a cesariana e, além disso, algumas pessoas mais próximas diziam que se a Giulia estava com dificuldade para mamar ou dormir é porque eu tinha “tirado” ela cedo demais! Vocês não têm noção como cada comentário desse me feria! Cheguei a chorar várias vezes e a acreditar que muita coisa que estava acontecendo era de fato culpa minha, por ter tomado a decisão errada! Poxa, eu só queria o melhor pra mim e pra minha filha!!

Bom, mas hoje tento pensar que o importante é que ela se desenvolveu super bem enquanto estava aqui dentro de mim e nasceu com bastante saúde (Apgar: 9 -10, 3.400 kg e 48 cm)! Só isso que importa, nada mais! E o vínculo e amor que teremos pelo resto de nossas vidas não serão menores simplesmente porque eu não tive um parto normal e humanizado! O importante é o dia a dia, a convivência, o que você FAZ, como você transmite todo esse amor!

Não vou entrar em detalhes sobre o dia do nascimento da Giulia, pois ainda quero fazer um post contando como tudo aconteceu!!!

O que posso dizer é que aquele NÃO foi o dia mais feliz da minha vida, como muitas mamães afirmam por aí. Pois a cada dia que passa o amor que sinto por ela aumenta, bem como a felicidade de tê-la como filha. Se hoje tenho muito mais amor e felicidade, como posso dizer que aquele foi o dia mais feliz? Hoje sou muito mais feliz do que ontem e amanhã serei muito mais do que hoje. É um amor que não tem fim!

Bom, essas foram as 39 semanas e 5 dias da minha gestação! Foi tudo muito rápido! Uma experiência única, inesquecível, com muitas coisas boas, mas muitos desconfortos também!

E hoje me sinto realizada e feliz por estar vivendo a maior aventura da minha vida: ser mãe da pequena Giulia, meu tesouro, meu amor pra todo o sempre…

32 semanas e 2 dias33 semanas37 semanas..37 semanas38 semanas.38 semanas39 semanasnascimento giulia

 

16 pessoas curtiram.

Psicóloga. Apaixonada por cinema, viagens, gastronomia e decoração. Mamãe da Giulia.

Comentários

  1. Fernanda Diz::

    Pri…Linda sua historia! Pena que ta acabando…Quero mais!
    Acho que a minha foi tao traumatizante que fico emocionada com todas…..
    Quanto a cesárea realmente muito triste o que precisamos ouvir… Levei uma lição muito importante de todas as intercorrências da minha gravidez!
    Na vida de mão, não somos nos que decidimos e sim Deus e sua providencia..O que eu mais queria era parto normal e filho com saúde… Nao tive nenhum dos dois no momento que esperava nem da forma que esperava, mesmo assim tudo deu certo, e hoje agradeço as dificuldades passadas e tudo que aprendi…gracas a isso aprendemos a ser menos ansiosos e esperar que as coisas aconteçam no seu tempo….
    Grande beijo amiga!

    • Priscilla Diz::

      Obrigada Fer! Muito bom receber seu carinho!
      Foi super difícil resumir 9 meses em três posts…óbvio que ficou muita coisa de fora, mas faz parte né! Depois vou fazer um relato do grande dia!
      Mas o que você falou é verdade…somente Deus sabe o que é melhor! Temos sempre que confiar e acreditar que tudo tem um porquê!
      Realmente aprendemos muito com tudo de bom ou ruim que acontece na nossa vida! Sem dúvida a experiência da maternidade tem me tornado uma pessoa muito mais madura!
      Quanto a você, não me canso de dizer que é uma guerreira!!! Passou por tanta coisa, sem nunca baixar a cabeça e deixar de acreditar! E hoje tem uma pessoinha linda, perfeita e saudável ao seu lado chamada Benjamin! Parabéns pela mãe maravilhosa que é. A sua história sim inspira qualquer pessoa!
      O que acha de um dia fazer seu relato pra postarmos aqui no blog hein? Seria maravilhoso!
      Beijo grande!!

  2. Lidiane Silveira Diz::

    Estou encantada com seu site e seus relatos.
    Estou esperando minha pequena florzinha que deve chegar até 22 de outubro e já estou aprendendo muito com as dicas e com as suas postagens.
    Parabéns e obrigada por compartilhar suas experiências.

    • Priscilla Diz::

      Lidiane,
      Que delícia ler esse seu comentário!
      Fico muito feliz em saber que tenho ajudado de alguma forma! =D
      Desejo tudo de melhor pra vc e sua princesinha! Qual o nome dela?
      Aproveite muiiiito esse final de gravidez! Passa tão rápido! hehe! E continue participando aqui do nosso cantinho!
      Beijo grande querida!

  3. Maria Diz::

    obrigada pelo relato, minha querida! Gostei muito de vc ter sido sincera, pois no fim da gravidez sofri muito com o mesmo desarranjo intestinal, foi uma experiencia muito incômoda! Estou esperando ansiosamente pelo dia de dar a luz ao meu filho! Apesar de todos os probleminhas decorrentes da gestação, estou muito feliz e emocionada por me tornar mamãe! Beijos! Parabéns por esse lindo presente de Deus: sua bela filha!

    • Priscilla Diz::

      Obrigada Maria!
      Acho super importante sermos sinceras! Senti falta de relatos assim durante a minha gravidez, até por isso quis fazer um que fosse bem próximo da realidade!
      A gravidez e o dia a dia com um bebê, apesar de serem momentos muito mágicos e especiais, têm seus pontos negativos! Nem sempre tudo são flores!
      E quando seu pequenino nasce?
      Desejo tudo de melhor pra vcs! Que ele venha com muita saúde e traga ainda mais alegria pra sua vida!
      Beijos e obrigada mais uma vez pelo carinho!

Deixe seu comentário

*