O Nascimento da Minha Princesinha – Parte II

nascimento giulia

Quem ainda não leu a parte I é só clicar aqui!

Chegamos na porta do centro cirúrgico e a enfermeira disse que meu marido teria que aguardar ali fora! Ele seria chamado assim que estivesse tudo prontinho! Nos abraçamos e logo entrei, com o coração na mão de ter que deixá-lo. Como eu queria ele ali perto de mim, segurando a minha mão, tentando me acalmar…não é justo o acompanhante entrar só nos “finalmente”, a gente precisa de apoio durante TODO o processo! Fora que meu marido quase enlouqueceu esperando do lado de fora, coitado! Pra vocês terem uma noção, chegamos ao centro cirúrgico às 13:15 aproximadamente e o parto só aconteceu às 15:10, que foi quando meu marido foi chamado! Um absurdo! Sério, achei o Ó todo esse tempo de espera! Acho que mesmo a pessoa mais tranquila do mundo, acaba ficando ansiosa tendo que esperar tanto tempo!

Bom, lá dentro veio uma enfermeira conversar comigo…ela me pediu alguns dados, fez umas perguntas (acho que pra ver se eu estava lúcida e consciente, porque fala sério…cada pergunta idiota!) e quis saber o nome que daria ao meu bebê. Expliquei que era Giulia com G – I – U e não J. Nunca vou me esquecer da cara que a criatura fez…sério, ela não entendeu absolutamente nada! Ficou uns cinco minutos pensando alto: Giulia? Giiiiiiulia? Giuliaaa? E eu só dizia: É!!!!! G-I-U-L-I-A! Foi quando a criatura me solta: Giulia, com G de Jarra????? Nãooooo, com G de Gente sua besta! Hahaha. Claro, que não falei isso…sou uma mulher muito educada! Haha. Mas vontade era o que não faltava. P***, nunca ouviu o abecedário da Xuxa mulher? Haha. Não precisa nem ser alfabetizada: “G de gente, H de humano, I de igualdade…” Hahaha.

Depois dessa tudo o que eu mais queria era ficar sozinha e, graças a Deus, a Janete com G foi embora! Haha!

Assim que ela foi arranjei um banquinho pra apoiar meus pés, encostei a cabeça na parede e tentei ficar o mais relaxada possível. Mas, infelizmente, minha paz não durou muito tempo, logo entrou na sala o auxiliar de anestesista perguntando se eu queria ver a agulha que seria enfiada na minha coluna! Logo falei: Claro que não! Você tá louco?? E ele me explicou que a anestesia não doía nada, que esse negócio de dor era mito e que se eu visse a agulha com certeza ficaria mais aliviada. Bom, já que ele tava me garantindo que seria melhor, mandei trazer a agulha! E, realmente, me senti muito mais tranquila quando vi e toquei a dita cuja! A agulha é grande, mas é super fininha e flexível! Pensei: Vai ser moleza! Obrigada, mas agora vaza daqui e deixa eu curtir minha ansiedade sozinha! Haha!

Continuei com os pés pra cima, com a cabeça encostada na parede, na maior paz, quando entra uma mulher perguntando se eu era a Priscilla que tinha uma cesariana marcada para às 15h, confirmei e perguntei do que se tratava e ela disse que tava ali pra filmar meu parto! Cuma??? Fui logo dizendo: Não, não! Não contratei ninguém não, você deve tá me confundindo com outra pessoa! A coitada não entendeu nada e disse que, provavelmente, se tratava de um mal entendido e que, então, procuraria a pessoa certa!

Fiquei pensando: Nossa, que coincidência! Tem mais uma Priscilla que vai ganhar neném no mesmo horário que eu! Hahaha! Que retardada…não tava raciocinando direito!

Pouco tempo depois a mulher volta dizendo que havia decifrado o enigma! Quem a contratou foi o meu padrasto e era pra ser uma surpresa! Até meu marido sabia, mas ninguém me contou! Que fofo né? Nossa, fiquei toda boba! Simplesmente amei o presente!

Bom, depois de uma longa espera (se passaram anos ali naquela sala), uma nova enfermeira entrou dizendo: Chegou a hora! Seu médico já está aí! Vamos? Dei um pulo da cadeira e saí toda faceira!!!!

Entramos na sala de cirurgia e estava toda a equipe bem descontraída, tentei entrar no clima! Lembro que o auxiliar de anestesista falava um monte de piadinha e eu, mesmo não escutando nada direito por conta do meu nervosismo, dava risada de tudo! Ele pegou uma veia próxima ao pulso para o acesso e disse que a ráqui doeria menos do que aquele acesso! Pensei: Opa, sossegado então!

Para a ráqui ele pediu para que eu sentasse com pernas de índio e me abaixasse o máximo possível, ficando bem corcunda! Missão quase impossível para uma grávida! Abaixei o máximo que eu conseguia, mas lembro de ouvir ele dizendo: tem que abaixar mais, tem que abaixar mais! Como??? Ele tentou me ajudar e eu consegui ficar ainda mais corcunda…a Giulia, coitada, tava espremida! Que sufoco! A anestesista me avisou então que eu sentiria uma picada e uma queimação, mas eu não poderia me mexer! Tentei me concentrar e repeti pra mim mesma: Não posso me mexer, não posso me mexer! Foi quando senti a picada e, como um reflexo, dei um pulinho! Foi inevitável, mas graças à Deus nada aconteceu! Hahaha! Quanto à dor, sinceramente DÓI e muito mais do que um acesso!!! Mas não é uma dor absurda ou algo traumático como muitos dizem por aí! É uma dor totalmente suportável!

Depois de aplicarem a anestesia, meu marido foi  finamente chamado! E a partir desse momento foi tudo MUITO rápido! Como falei antes, o parto em si começou às 15:10 e a Giulinha nasceu às 15:20! Meu marido mal sentou do meu ladinho e o médico já chamou: “Papai, vai nascer! Se quiser ver, já venha pra cá!” Ele levantou correndo e foi quando ouvi o som mais lindo desse mundo: o chorinho da minha bebê! Senti um bolo na garganta e uma lágrima escorreu dos meus olhos! Era muita emoção e eu só pensava: Não é que era verdade!!! Tinha um bebezinho mesmo aqui dentro! Hahahaha!

O maridão e o pediatra trouxeram ela pra mim e eu só beijava aquele rostinho melecado e pensava: Meu Deus, como ela é linda!!!!!!!!!!! Infelizmente o pediatra teve que levá-la para fazer todos os testes e o maridão foi junto, claro, acompanhar tudo! Confesso que morri de inveja, tudo o que eu mais queria era estar naquela posição privilegiada, acompanhando tudo, segurando nossa filha no colo! Mas não, tive que ficar ali olhando pro teto enquanto costuravam a minha barriga! Já estava quase morrendo de tédio quando o maridão volta com nossa pequena no colo! Ela tava chorando, mas foi só colocá-la em cima de mim que ela parou de chorar na hora! Me derreti! Lembro que ela estava super tímida e não queria tirar a mãozinha do rosto! Era tudo tão delicadinho, tão fofo…fiquei um bom tempo fazendo carinho e conversando com ela…que momento mágico! Mas logo eles me abandonaram novamente!

Meu médico terminou todo o procedimento e eu fui levada até uma salinha de recuperação! Lá as enfermeiras aferiam minha pressão arterial e monitoravam meus batimentos cardíacos constantemente. Acho que foi a parte mais chata de todo o processo, achava que nunca mais sairia de lá, que agonia! O tempo que fiquei nessa salinha, olhando pro teto e pensando na morte da bezerra, foi de aproximadamente uma hora! E tudo o que eu mais queria era estar com a minha filha…

nascimento giulia 2

nascimento giulia 3

7 pessoas curtiram.

Psicóloga. Apaixonada por cinema, viagens, gastronomia e decoração. Mamãe da Giulia.

Comentários

  1. Jenifer Diz::

    SOMENTE UMA PALAVRA DEFINE TODO ESSE MOMENTO EMOCIONANTE,NÃO CONSEGUI SEGURAR AS LAGRIMAS LEMBRANDO DA MINHA HISTÓRIA TAMBÉM,PARABÉNS…

    • Priscilla Diz::

      Oi Jenifer! Que lindo!!! 😉 O nascimento de um filho é um momento único né?! Emocionante demais! Se quiser um dia nos contar a sua história, é só nos mandar que publicamos! Seria muito legal! Beijão!

  2. Marcia Diz::

    Aí que lindoooo!!!!
    Encomenda logo outro por favor !!! rsrsrs
    Deixa ela fazer 1 aninho e pronto .hehehe
    Bjos (Não vale me xingar )

    • Priscilla Diz::

      Hahahaha! Só vc mesmo tia…
      Olha quem fala, parou a fábrica depois que o Maurício nasceu, poxa! hahaha!
      Mas eu quero mais um sim, só mais um!!! Mas acho que vai demorar um pouco mais do que um ano…caso contrário o Diego tem um treco aqui! Hahaha!
      Bjos

  3. Janaina Diz::

    olá Priscila, primeiramente quero parabeniza-la pelo blog é um máximo estou amando…Também tive minha princesinha Isabela no Santa Cruz, foram 7 horas em trabalho de parto e graças a Deus ao contrario do que eu ja tinha ouvido falar que o pai so poderia entrar qdo estivesse na horao meu marido pode ficar o tempo todinho ao meu lado foi maravilhoso já que tentei induzir e depois de 7 horas tentando e estar muito frustada fui para cesaria, acho que não é por ser cesaria ou normal pq minha irmã teve de normal ( ela conseguiu não ficou só na tentativa igual eu) e meu cunhado só pode entrar na hora que ja tava nascendo. Talvez eu tenha sido privilegiada ou vai da bondade dos médicos e enfermeiros…Bjus

    • Priscilla Diz::

      Nossa Janaina, que bom hein!!! Acho que vc foi privilegiada sim!! Hehe! Pois sempre me falaram que o pai só poderia entrar nos finalmente!
      Um saco né?! Ficar sozinha é horrível…precisamos de carinho, amor e suporte durante TODO o processo!
      Mas que bom que vc teve sorte! 😉
      Obrigada pelo elogio! Fico super feliz em saber que vc está gostando do nosso cantinho! Eu e a Camila cuidamos dele com muito carinho!
      Beijo grande!!!

  4. Cid@ Diz::

    Que lindo!!!

    To amando seu blog

Deixe seu comentário

*