O Renascimento do Parto – O Filme

Estréia hoje em Curitiba o filme O Renascimento do Parto. É um filme que aborda a necessidade de uma mudança na cultura do Brasil no que diz respeito ao nascimento dos nossos bebês. Para quem não sabe, o Brasil é o país que mais realiza cesáreas no mundo! Aqui cerca de 50% dos partos são feitos por meio de cirurgias abdominais enquanto a Organização Mundial da Saúde indica que essa porcentagem deve ser no máximo 20%. Essa porcentagem aumenta muito na classe média onde  de 80 a 90% das mulheres optam por cesáreas. Isso vem acontecendo por vários fatores, pela falta de informação e mitos sobre o parto normal/natural, por ser mais cômodo e muitas vezes mais lucrativo para os médicos realizarem cesáreas, deficiências no sistema de saúde para realizar partos normais/naturais realmente humanizados etc.

Eu conheço uma gestante francesa que vai ter seu bebê aqui no Brasil e ela comentou comigo chocada que não sabia que aqui era possível fazer cesárea assim, a torto e a direito, e que lá na França só fazem esse procedimento em casos onde a mãe ou o bebê correm riscos (reais, diga-se de passagem!). O obstetra dela claro que indicou a cesárea, assim como a maioria deles faz, mas ela vai fazer parto normal. Sim, pois pra ela (e ouso dizer que para o resto do mundo também), o normal é ter parto normal. Na realidade, o normal é respeitar a escolha da mulher, é permitir que ela tenha seu filho da maneira que ela se sente mais segura! Seja em casa, numa casa de partos, no hospital, parto natural, parto normal, cesárea, etc.

Confesso que fiquei feliz com o lançamento desse filme, muitos mitos estão sendo quebrados, muitas “verdades” impostas estão sendo questionadas. Estou apostando que muita coisa vai mudar. Precisa mudar!

Para ver o vídeo promocional do filme, que é um trailer estendido e muito explicativo, é só dar o play ali em baixo!

Aqui em Curitiba o filme vai ser exibido somente no Espaço Itaú que fica no Shopping Crystal. Eu e a Pri vamos na quarta feira que vem e estamos super ansiosas para assistir! Quem quiser ir com a gente está super convidado!

Para mais informações sobre o filme, locais e horários de exibição é só clicar aqui.

3 pessoas curtiram.

Mini Sling ou Porta Boneca

Brincando de boneca as crianças imitam os cuidados que os adultos tem com os bebês, certo?! Elas dão comidinha, dão “mamá”, passeiam com a boneca no carrinho, colocam pra dormir e porque não levar a boneca num mini sling?! Pois é, pelo que percebi essa é uma brincadeira que vem ganhando força, principalmente no exterior (achei menos coisas em sites nacionais). Eu sempre achei lindo bebês no sling, algumas pessoas se adaptam, outras não, mas o fato é que o bebê fica tão aninhadinho no aconchego do peito, lindo de ver! Sem contar que proporciona algo importantíssimo para as mães e pais, mãos livres (uhu!) com o bebê pertinho! Santo sling! Agora, quando eu vi crianças carregando suas bonecas no sling eu quis morrer! Coisa mais fofa desse universo né minha gente?! Fiquei com vontade de espremer essas crianças. É muito amor, olhem só:

doll sling 1 doll sling 2 doll sling 3 doll sling 5 doll slong 4Se interessou e quer um para seu filho brincar? Eu vi que tem no Bicho Preguiça e na Tutitati. Os da Tutitati vem com uma boneca de pano combinando com o sling, quase comprei pra mim! Haha, muito fofo!

Não tá afim de gastar com isso e prefere fazer em casa? Você pode aprender a fazer, é só clicar aqui e  bora incrementar a brincadeira da criançada com slings lindinhos!

4 pessoas curtiram.

5 Dicas de arte para crianças pequenas

arte criancaEsses dias eu vi essa imagem no face e me lembrei de como muitas crianças ficam hipnotizadas por horas e horas nesses eletrônicos e por mais que seja muito legal e estimulante não é só isso! Estou trabalhando dando aulas de artes pra crianças e  elas gostam de outras coisas também! É só mostrar, oferecer, brincar com ela!

Então hoje resolvi dar algumas dicas e falar um pouquinho da importância da arte para crianças a partir de 1 ano e meio (sim, com apenas 1 ano e meio seu filho já pode fazer muita arte! Em todos os sentidos haha). Na verdade a maior função da arte na criança pequena é fazer com que ela tenha contato com diferentes tipos de materiais e texturas, afinal ela está conhecendo o mundo e quanto mais experiências ela tiver melhor! Outro aspecto importante é que nesse processo ela está desenvolvendo sua autonomia e criatividade, ampliando sua percepção do mundo e lidando com os mais diversos tipos de sentimentos! Então mamãe, se você não for paranóica por limpeza (e se vc for, pense nisso com muito carinho) deixe seu filho brincar com tinta, faça com ele massinha caseira,  deixa ele se sujar! (com coisas “saudáveis”, claro! haha).

As dicas que eu dou para quem vai fazer isso em casa são:

  • Tenha uma “roupa de guerra”! Sim, ele vai limpar a mão na roupa e por mais que a tinta/material seja lavável pode ser que não saia 100%.  Então tenha uma roupa só pra isso ou use um camisetão (uma camiseta velha sua).
  • Tenha um espaço só pra isso. Delimite um espaço na casa só pra isso, assim a criança vai assimilando que ela não pode fazer isso em outros ambientes pois ela tem um lugar só pra fazer arte. Pode ser a cozinha que é de azulejo e fácil de limpar (mas forre o chão gelado please! Nós usamos um cobertor e uma lona por cima, mas vc pode usar qualquer plástico, desses de toalha de mesa mesmo) ou o banheiro, dentro do box (as crianças amam pintar paredes e o banheiro é bem mais fácil de lavar né?!)
  • SEMPRE supervisione de perto as atividades artísticas do seu filho! Ele pode se machucar ou querer colocar algo na boca e dependendo do material que você está oferecendo ao seu filho não dá pra experimentar dessa maneira! hehe.
  • Ofereça os mais variados materiais para ele recortar, colar, pintar, grudar, amassar, etc. Por exemplo, você pode oferecer tinta guache para ele pintar, adicionar água na tinta para ele ver como a tinta fica mais mole e como é pintar com aquela tinta diferente, você pode dar milho de pipoca, feijão e arroz,  pra ele colar num papel e ver qual é a textura, a cor, o formado de cada um e como se faz para colar na folha.
  • Deixe ele participar ativamente do processo! Não subestime a capacidade de uma criança! hehe. Se você for fazer massinha caseira por exemplo, permita que ele toque (enfie a mão mesmo) na farinha, no sal, no óleo, na tinta colorida, etc. Além disso deixe que ele te ajude a colocar punhados dos ingredientes no recipiente e te ajude a misturar aquela meleca toda! Essa experiência é super importante para os pequenos, por mais que pareça boba para nós!

Não se assuste se a criança sentir aversão a tocar em algum material (óleo, pena, tinta, etc), lembre-se que aquilo é algo novo pra ela e essa aproximação pode ser aos poucos! Não desista, tente oferecer outro dia pra ela. Tem criança que adora logo de cara, mas tem criança que vai mais devagar! Tudo depende da personalidade da criança e aos poucos ela (e você) vai descobrindo o que é prazeroso pra ela ou não. Mas para que ela (e você) saiba disso ela precisa experimentar, não é?! Não se baseie nos seus gostos pra determinar o que a criança vai ou não fazer, conheço gente que não gosta de tocar em pena, mas pode ser que seu filho goste!

Caso você não queira que seu filho faça isso em casa você pode levar ele nas aulinhas de artes da Tia Came ! Lá você vai participar com ele desse processo em um espaço criado só para isso! Mais informações no site do Espaço Criança em Foco.

 

3 pessoas curtiram.

Dica de Filme: Detona Ralph

ralph-vanellopeFinal de semana chegando… Que tal assistir um filme com seu filhote? E que tal assistir Detona Ralph?

Esse é um filme indicado pra família toda! Os mais velhos geralmente adoram pelos personagens de games antigos, nostalgia mode on! Eu particularmente lembrei muito dos jogos da minha infância e adolescência e como era legal, ai que saudade gente! Os mais novos gostam porque também tem alguns personagens de jogos da atualidade e as crianças ficam doidas pelo universo super colorido de Sugar Rush (e eu me incluo nessa também hehe).

Mas vocês acham que o filme é bom só pelos personagens? Nada disso! Além de cenas super engraçadas o filme traz muitas mensagens legais! Como o fato de que qualquer um pode ser um “herói” e que você pode ser muito querido pelas pessoas e  pode ser muito feliz sendo quem você é! O filme também aborda temas sobre cooperação e companheirismo. Outro ponto legal é a questão da determinação e da persistência para alcançar objetivos apesar das dificuldades e apesar de ninguém acreditar em você. Super importante abordar esses temas com os pequenos né?! Melhor ainda se for através do lúdico e que os papais possam curtir junto!

Eu fiquei enlouquecida por esse filme quando assisti, principalmente pela Vanellope (que foi pro fundo de tela do meu computador inclusive! Hehe). Ela é a coisa mais fofa, mais serelepe e mais “zoiuda” desse mundo!  Enfim, esse filme foi pro top 10 da minha lista de filmes infantis! Promete pra mim que vai assistir, promete?! haha

Vou colocar aqui em baixo o trailer e a sinopse do filme pra quem ficou interessado!

“Ralph (John C. Reilly) é o vilão de Conserta Félix Jr., um popular jogo de fliperama que está completando 30 anos. Apesar de cumprir suas tarefas à perfeição, Ralph gostaria de receber uma atenção maior de Felix Jr. (Jack McBrayer) e os demais habitantes do jogo, que nunca o convidam para festas e nem mesmo o tratam bem. Para provar que merece tamanha atenção, ele promete que voltará ao jogo com uma medalha de herói no peito, no intuito de mostrar seu valor. É o início da peregrinação de Ralph por outros jogos, em busca de um meio de obter sua sonhada medalha.”

Um excelente final de semana pessoal, curtam muito cada segundo com seus filhotes!

Uma pessoa curtiu.

Dicas para viajar de carro com um bebê

viajar de carro com um bebê

viajar de carro com um bebê

Mês passado levei minha pequena para o Rio de Janeiro pra conhecer toda a nossa família! Pra quem não sabe, eu sou carioca e, com exceção da mamis, do padrasto e de duas sobrinhas, a parentada toda mora lá no Rio! Imagina então a saudade que sinto, principalmente do papis, da vovó, dos meus irmãos e dos meus outros sobrinhos! Mas, fazer o que?! Se a vida quis assim…

A princípio iríamos de avião, mas quando imaginamos o quão difícil seria ficar sem carro por lá, logo mudamos de ideia!

Não curto muito viajar de carro, morro de medo de estrada, mas como ficaríamos por lá durante quinze dias, passeando e visitando amigos e familiares, não tínhamos outra opção! Ir de avião e alugar um carro na cidade ficaria muito caro!

No fim das contas, apesar de cansativa, a viagem foi super tranquila! É claro que tentei pensar em tudo e tornar a viagem o mais agradável possível para a pequena. Fiquei morrendo de medo dela passar mal, chorar muito ou, simplesmente, ficar agoniada por estar presa por tantas horas no “bebê-desconforto”. Já tínhamos viajado com ela pra Floripa e foi super tranquilo, mas nem se compara com uma viagem ao Rio, que é muito mais longa! Mas no fim das contas, deu tudo certo! Giulinha se comportou muito bem, dormiu na maior parte do tempo, tanto na ida quanto na volta e só quando estávamos prestes a chegar é que ela começava a ficar um pouco manhosa, daí era hora de lançar mão dos nossos truques! Hehe!

De Curitiba até o Rio dá um pouco mais de 800 Km (chão né?) e fizemos tanto a ida quanto a volta em aproximadamente 13 horas! Quando éramos só nós dois, eu e maridão, a gente conseguia chegar no Rio em mais ou menos nove horas. Mas com a Giulia não dá, primeiro porque andamos BEM MAIS devagar e segundo porque paramos DIVERSAS vezes!

Bom, como viajar de carro com um bebê é uma super aventura e demanda uma série de cuidados, resolvi escrever esse post com algumas dicas do que fazer e do que levar.

Vou apenas falar sobre as coisas necessárias para o trajeto ok? Mais pra frente faço um post do que levar nas malas, quantidade de roupas, fraldas, etc.

Ah, lembrando que a minha experiência foi de viajar com um bebê de oito meses. É claro que, dependendo da idade da criança, algumas coisas são completamente diferentes.

  1. Levar bastante água e oferecer frequentemente à criança;
  2. Levar comidinhas para a criança beliscar (bolacha maisena, frutas armazenadas em uma bolsa térmica, cenourinhas da Turma da Mônica, etc.);
  3. Para almoço (e janta, se for o caso) – se conseguir – levar papinha feita em casa armazenada em uma bolsa térmica. De qualquer forma, é sempre bom ter uma papinha da Nestle na bolsa para garantir! Como minha bolsa térmica não é lá muito confiável e eu não tive tempo de preparar a comidinha dela, acabei oferecendo a papinha pronta mesmo. Infelizmente;
  4. Providenciar algo para tapar o sol que entra pela janela do carro. Pode ser um tapa sol de carro infantil ou um simples cobertor, lençol ou mantinha. Confesso que já li muito a respeito desses tapa-sóis (é assim que se fala? Que se escreve?) e vejo muita gente falando mal, dizendo que não são muito eficazes. Então preferi não gastar dinheiro com isso e coloquei um cobertorzinho preso na janela. Meio jacú, eu sei, mas o cobertorzinho cumpriu muito bem o papel. Haha;
  5.  Aplicar protetor solar no bebê – e levar na bolsa para reaplicar, se for o caso. É claro, isso para bebês com idade igual ou superior a seis meses. É sempre bom conversar com o pediatra antes;
  6. Colocar uma roupinha bem confortável no bebê. Sem sapatos, sem elásticos muito apertados, sem faixinhas de cabelo, etc;
  7. Levar aproximadamente três mudas de roupa na bolsa de mão. Nunca se sabe se a temperatura vai mudar ou se o bebê sujará a roupinha que está usando. No nosso caso, como saímos de madrugada estava bem frio aqui em Curitiba, então vesti a pequena com body manga longa e calça. Mas logo depois tive que trocar a roupinha dela para uma mais fresquinha e, mais no final da viagem, como ela suou muito e sujou a roupinha com papinha, acabei trocando novamente;
  8. Calcular a quantidade de fraldas que o bebê normalmente usa durante o período em que estarão na estrada (no nosso caso 13 horas) e levar umas três a mais na bolsa de mão. Nunca se sabe;
  9. Levar os brinquedinhos e mordedores que a criança mais gosta (Muito importante!);
  10. Gravar vídeos da Galinha Pintadinha, do Discovery Kids ou seja lá o que for pra criança assistir no DVD, no Ipad, Tablet, Celular, whatever. Pessoal, essa dica é valiosíssima. Em vários momentos a Giulinha só se acalmava ou dormia quando colocávamos os vídeos! O negócio é de outro mundo, hipnotizante! Haha.

Bom, provavelmente estou esquecendo de algo. Mas se eu lembrar depois, volto pra atualizar!

Espero ter ajudado! É claro que muitos fatores devem ser levados em consideração ao se planejar uma viagem de carro como: a idade do bebê, a estação do ano e a distância que irá percorrer.

E quem tá pensando em viajar com o pimpolho de carro de Curitiba ao Rio ou do Rio à Curitiba, fique susse! É cansativo, mas dá certo! Experiência própria! 😉

P.S.: É super importante fazer algumas paradas, não só para alimentar o bebê ou trocar a fralda, mas para distraí-lo um pouco. Deve ser muito chato e desconfortável pra eles ficarem tanto tempo no bebê-conforto ou na cadeirinha. Ah, esse é outro ponto importante!! Nunca, em hipótese alguma, transportar o bebê sem o uso da cadeirinha, a qual deve ser aprovada pelo INMETRO e instalada corretamente.

Uma pessoa curtiu.