Até quando?

Quando estava grávida da Giulia eu quase não pensava no tema amamentação. Achava que não tinha por que me preocupar com isso. Apesar de muitas vezes sentir um calafrio ao imaginar um bebê sugando meu seio, acreditava que era o certo a fazer e que o aleitamento aconteceria de forma natural e rápida. Ponto final. Nunca quis saber sobre as infinitas dificuldades que eu poderia ter. Não pesquisei, não estudei, não perguntei. Sim, erro meu! Na minha cabeça, era só colocar a boca do bebê no meu bico e pronto! Ele mamaria lindo e faceiro, como um bezerrinho! Aham! Mentira gente, de vez em quando vinha uns pensamentos do tipo: Ain, será que vou ter leite? Haha. Mas, de uma maneira geral, eu não gostava de pensar na parte chata, no que podia dar errado. É claro que muitas informações chegaram até mim através do meu obstetra e do curso de gestantes. Eu sabia, mais ou menos, o que deveria fazer, mas queria me preocupar com isso quando estivesse, de fato, vivenciando essa experiência. Daí que a Giulia nasceu e eu, na minha imaturidade, inexperiência e fragilidade, tive a maior dificuldade em fazer a bichinha mamar. Senti uma dor absurda no começo, principalmente depois que o bico de silicone saiu de cena. Chorei. Pensei: “Me esforçarei ao máximo pela minha filha, mas esse esforço terá um prazo de validade: seis meses! Mais que isso eu não aguento!” Sim, eu estava exausta, física e emocionalmente! Mas existe um negócio que resolve tudo nessa vida: o TEMPO! Os meses foram passando, a dor foi diminuindo e a Giulia se tornou o bezerrinho que eu sempre sonhei. Amamentar se tornou um prazer. Passei a amar esse momento e a me odiar por ter pensado em amamentar só até os seis meses. Como assim? Minha filha merece muito mais do que isso! EU mereço muito mais do que isso! Mas como nem tudo nessa vida são flores, os dentes começaram a nascer e, junto com os dentes, uma vontade louca de me morder! Com sete meses e quatro dentes, as mordidas se intensificaram e começaram a me incomodar de verdade. Chorei de dor por diversas vezes. Meus mamilos ficaram sensíveis, sangraram e as feridas formaram pus. Quis desistir. Jogar tudo pro espaço. Mas meu instinto materno falou mais alto e decidi seguir em frente, aos trancos e barrancos. Tentei, de todas as formas, mostrar a ela que aquilo não era legal e que machucava não só meu corpitcho, mas meu coração. Mas ela numtavanemaí. Comecei a pensar que ela deveria sentir um incômodo muito grande por conta do nascimento dos dentes e por esse motivo me mordia. E, de fato, vários dentinhos surgiram desde as primeiras mordidas. Mas não era possível que esse incômodo não passasse nunca, ora bolas! Achei melhor desencanar e “aceitar” as mordidas como parte do processo. E já se passaram três meses desde então. Ela continua vampirinha, meus peitos meio que calejaram, mas eu continuo rezando a cada mamada e pensando: Será que não chegou o momento de parar? Todo aquele prazer em amamentá-la foi substituído por medo e dor. E isso é péssimo. Mas aí vocês devem estar se perguntando: Porque cargas d’água ela não para logo então? Não sei minha gente! A questão é que o buraco é muito mais embaixo. Sinto que não estou preparada psicologicamente pra isso. Queria pelo menos tentar amamentá-la até um ano (falta um pouco mais de um mês apenas!). Acho que seria o ideal. Mas não sei! Às vezes me sinto uma retardada por querer continuar (ou não conseguir parar! Sacam a diferença?) e às vezes me sinto uma péssima mãe por pensar em interromper esse ciclo. Ain que difícil! Sendo bem sincera, queria que o desinteresse partisse dela, mas o peito ainda é muito importante pra baixinha, ela pede e gosta! Ainda não vive sem! Sei lá, queria saber se é só comigo que isso acontece. Muitas mães já me falaram que vez ou outra aconteceu do filho morder, mas mães que foram mordidas forever and ever, nunca conheci! Só sei que, por enquanto, continuo nessa luta! Cheia de dor, dúvidas e leite! Até quando vou aguentar?! Só Deus sabe!

A fase boa da amamentação! Giulia com quase 4 meses.

A fase boa da amamentação! Giulia com quase 4 meses.

8 pessoas curtiram.

Psicóloga. Apaixonada por cinema, viagens, gastronomia e decoração. Mamãe da Giulia.

Comentários

  1. Fran (da psico!) Diz::

    Pri, já parou pra pensar que deixar de amamentar é reconhecer que a sua filha já pode ‘sobreviver’ sem você? Comidinha, papinha e essas coisas todo mundo pode dar, e leite é só você. 😉
    Pense se é mais necessidade dela ou sua.

    Beijos e saudade!

    • Priscilla Diz::

      Fran, que delícia vc por aqui!
      Já pensei muito sobre isso que vc falou! Ai, ai, pior do que ser psicóloga e ter amiga psicóloga sabe?! hahahaha!
      Mas com certeza tem uma necessidade/dependência minha em jogo! Até pq, por mais que ela não tenha se desinteressado pelo peito, no fundo eu sei que ela vive tranquilamente sem meu leite!
      Mas por isso que comentei que ainda não estou preparada psicologicamente para o desmame! Mas tô me preparando amiga e sei que o fim está próximo! rs
      Obrigada pela ajuda!
      Saudades tbm! Beijo grande.

      • Fran (da psico!) Diz::

        Eu sempre to passando por aqui! E confesso que as vezes só de ler o que você posta sobre sua filhota dá vontade de ter uma pequena (ou pequeno) também!
        Mas Pri, o importante é pensar sobre tudo isso. Se já tá claro pra você que isso é mais seu do que dela, já é um grande passo né? Agora é trabalhar isso em você. E vai com calma… deve ser uma delícia amamentar, curta mesmo!
        A Giulia é novinha ainda. Trabalhei numa instituição em que tinham crianças mamando com 4/ 5 anos de idade. Aí já é demais né? ahhahaha
        Vai com calma Pri! Você com certeza deve ser uma ótima mãe! 😀

        • Priscilla Diz::

          Nossa Fran, 4/5 anos é absurdo (não queria usar essa palavra, mas foi inevitável! haha)!
          Mas tô indo com calma sim e me preparando para o fim desse ciclo!
          Obrigada pelo carinho e pela força!
          E falando em ter um (a) pequeno (a) tbm, já tem planos?? Hehehehehe! Eu sei que é pergunta chata, q todo mundo faz, mas fiquei curiosa! kkkk
          Beijos!!

  2. carolina Diz::

    com 7 meses de gravidez comecei a ter leite, saia pouco, mas saia! mas, eu ainda duvidava que iria ter leite, ou se ia ter pouco, ai nasceu o meu fiotinho, 20 dias antes do previsto… depois que eu sai do hospital meu leite veio todinho e pedrou, senti muita dor, eu chorava porque doia e ele chorava pq não conseguia mamar, passou uns 15 dias a mamada melhorou, ai eu pensava nos dentinhos, já sentia dor antes mesmo de nascer os dentes! rs… com 5 meses nasceu o primeiro, mais antes disso ele já mordia com a gengiva e já doia, com o dente doia muito mais, com 7 meses nasceu outro dentinho, e agora com 8 meses tá vijndo o terceiro dente, eu já pensei em parar de amamentar, mas, não tenho coragem, fico com dó dele, pq a pessoinha mama que é uma beleza, ele acaba de comer e já quer mamar, gruda na minha blusa e já vem com a boquinha! inclusive de madrugada ele mama, mama muito, a médica já disse pra eu tirar de madrugada, mais eu fico com dó dele e dou! ela disse pra eu amamentar pelo menos até 1 aninho, o ideal serias até 2, mais como eu falei pra ela que ele tá mordendo muito e que dói, ela disse pra eu aguentar até 1 ano.

    • Priscilla Diz::

      Carollllllll…que alívio ler seu comentário!!! Quer dizer então que não sou a única que tenho esse problema!? rsrs
      Não que eu fique feliz do teu filho te morder (haha), mas é muito bom saber que não estou sozinha nesse mundo!
      A pediatra falou pra aguentar é? A Giulia também mama de madrugada e, assim como vc, fico com dó de simplesmente negar o peito!
      Mas acho que vou segurar as pontas por aqui…falta tão pouco pra ela completar um ano né? Não custa tentar!
      Boa sorte pra gente!!!
      Beijão.

      • carolina Diz::

        estamos juntas, rs… falou sim, eu não parei mesmo por dó dele e por mim tb, nós aguentamos sim, é satisfatório ver eles mamando, não? já aguentamos até aqui, não custa nada aguentar mais um pouco, obrigada! boa sorte pra nós!!!
        beijo.

  3. Renata Diz::

    Tb comecei a ter leite bem antes da minha filha nascer e msm assim tinha medo de não ter leite pq havia feito uma cirurgia de redução de mama!! Mas graças a Deus tive bastante leite, mas apesar dos médicos dizerem que devemos amamentar até 2 anos sempre fui muito decidida que iria amamentar exclusivamente até os 6 meses e depois ir tirando aos pouquinho. Como sabia que quanto mais tarde tirar fica mais complicado, pq ai a criança já vai saber pedir e ai o sentimental fica sensibilizado. Parei com a amamentação total quando minha filha tinha 7 meses e meio. Não tive dificuldades com ela, mas tive que ser paciente co meus seios que só 2 semanas depois voltaram ao normal!

    • Priscilla Diz::

      Renata, realmente…quanto mais demoramos pra tirar, mais complicado fica!
      A Giulia já “pede”, ela fica procurando o peito e puxa a minha blusa! E eu fico imaginando o que fazer nessas situações quando estivermos, de fato, num processo de desmame? Simplesmente nego e ignoro? Parte meu coração só de pensar! haha!
      Mas sei que não vou aguentar por muito tempo, no máximo um mês e meio, até ela completar um ano! Enquanto isso, vou me preparando e trabalhando o psicológico! É duro saber se é mais sofrido pra mim ou pra ela! =/
      Mas obrigada por compartilhar sua experiência comigo!
      Beijo grande!

  4. Ana Paula Diz::

    Sabe que não tenho pensado nisso Pri? Parece que tenho tanto com que me preocupar que me permiti deixar esse assunto pra depois do nascimento…ou talvez seja pq sofri tanto pra amamentar a Evelyn que bloqueei o assunto pq apesar do sofrimento deu tudo certo e ela mamou até os 11 meses…
    Como estou com insônia e azia vou contar, tentar resumir minha experiência com a amamentação…
    No hospital eu tava meio besta, então não sei se tinha leite ou não, chegando em casa eu tive certeza de que não tinha e ponto final, mãe, sogra, vizinhas, todas diziam : tem simmm, parece maluca…24 hr depois, bebê chorava dum lado e eu de outro e tds concordaram, não tem leite nesse peito…Na época uma colega tinha um bebê com 15 dias e ela passou a amamentar a Evelyn pra mim, ela ia na minha casa de 2 em 2 hr, ou 3 em 3, algo assim, e a noite a Evelyn ficava sugando meu peito, incansavelmente…Na época eu era mto novinha, não tinha plano de saúde, nem acesso (de verdade) a um bom médico, então dependia das “técnicas” das mulheres mais experientes, e assim passaram-se 7 dias, minha colega exausta pq amamentava a minha menina e a dela e eu chorando e usando bombinhas pra estimular a produção do leite…Foi quando uma senhora vizinha bateu em minha porta e disse: JÁ CHEGA! (KKKK) É MTO SOFRIMENTO PRA ESSAS MÃES E PRA ESSAS MENINAS, A PAULA JÁ TOMOU CANJICA, CHÁ DE NÃO SEI OQ E CERVEJA PRETA (SIM TOMEI) E ATÉ AGORA NADA! ESSA MENINA TEVE UMA RECAÍDA DE DIETA(KKKK POR DEUS), VAMOS FAZER UMA GARRAFADA….Ninguém teve coragem de dizer que aquilo não funcionaria e a tiazinha fez a tal garrafada, algum tipo de chá com milhões de ervas, pinga e algum tipo de ritual(acho hahaha)…e lá veio ela com a tal caneca fumegante, a minha mãe coitadinha disse: tome filha, antigamente todas as mulheres tomavam, mal não vai fazer ( e eu com cara de: se der b.ó vcs vão ver) tomei a caneca, devia ser umas 18 hr e capotei, dormi um sono ke não dormia uns 2 meses e acordei depois da meia noite, os peitos jorravam leite e a Eve mal sabia oq fazer com tanta fartura, foi tanto leite que em 24 hr, meus seios estavam empedrando (OMG né?) dor,febre e coisa e tal, desempedrou, aí vieram as fissuras =( ( e é aí que entra a parte do bloqueei) Meus seios ficaram mto machucados, muito mesmo, eu amamentava chorando e meu seio sangrava na boca da Evelyn, minha mãe colocava uma toalha na minha boca e dizia : Morde filha e manda sua dor embora, mas não abandona a amamentação, ela só fará bem a sua filha, leite artificial nunca terá a importância que o seu leite tem! Eu pedia pra ela deixar eu comprar leite Nan, rsrsrs….mas ela não deixava e repetia que amamentar minha filha traria saúde pra ela e cumplicidade pra nós…e eu aguentei firme e isso passou, com 4 meses a Eve teve o 1º dente e lógico passou a me morder, mas depois de tudo que tinha acontecido, isso era tão pequeno que eu nem me importava tanto, rsrsrs…Quando ela fez 10 meses decidi que ia parar de amamentar pq ela já se alimentava super bem e eu achava feio criança grande mamando no peito, fui ao médico ke me receitou um remédio e em 30 dias não havia mais leite e a Eve nem sentiu mto falta pq estava interessadíssima nos outros sabores que estava descobrindo, rsrs…Mas hj eu me arrependo, de não ter amamentado mto mais, pq era delicioso aquele olhar entre nós(olhar esse que existe até hj, 13 anos depois) e a minha mãe estava certa, Eve quase nunca ficou doente nessa vida, e criamos um laço de amor tão grande, que hj ela me perguntou se ela poderia tbm assistir o parto do irmão, rsrsrs…Enfim…amamentar, por mais doloroso que seja, deixa em troca um saldo muito positivo, não se prive disso com a Giulia por causa dumas mordidas Pri, repita sempre pra ela que ela não pode fazer isso pq isso faz dodói na mamãe e ( ahhh a psicóloga aqui é vc, kkkkkk….vc sabe disso tudo) Enfim, a história ficou longa, mas espero que tenha ficado bonita 🙂 Agora vamos ver como vai ser a amamentação do Léo, espero que um pouquinho menos complicada, rsrsrs…Bjoss…

    • Priscilla Diz::

      Ana, que power essa tal de garrafada hein?! Hahahaha!
      Ai amiga, mas que sufoco viu! Que bom que no fim deu tudo certo e foi super recompensador!
      Sempre é né? É exatamente isso que me faz seguir em frente! Ainda tô aguentando amiga! Pelo menos até um ano me comprometi a suportar tudo isso!
      Vai dar tudo certo!! 😉
      Quanto à amamentação do Léo, acho que por ser segunda gravidez e vc já ter tido a experiência, a tendência é ser mais tranquila sim!!!
      To torcendo por vc! Hehehe!
      Beijos

  5. Renata Diz::

    Olha também bebi uma garrafada, mas foi uma trazida de Manaus . Bebi uma garrafa de 2L toda(aos poucos). Meu pai estava a passeio e eu pediu que ele trouxesse, para que eu tivesse um pos parto melhor e ficasse boa mas rápido. Foi como magica. Minha recuperação foi super rápida e sem dores e nao me faltou leite em nenhum momento. Beijoss

  6. Fernanda Diz::

    Oi Priscilla!
    Tem pouco tempo que estou acompanhando o blog de vocês e estou adorando!!
    Minha princesa está prestes a completar 2 anos. Mamou só até fim do 4 mês. Vou contar um pouco da minha história.
    Quando tava gravida li muita coisa sobre amamentação e fiz muitas idealizações sobre como seria… ou como queria que fosse. A minha ideia era como a da Renata, amamentar exclusivamente até o 6 mês e depois ir tirando até porque eu iria voltar a trabalhar.
    Não fui uma “vaca leiteira” (como as pessoas falam), mas sempre tive o suficiente para minha pequena. No começo passei uns perrengues mas aqui em Salvador (onde moro) tem um grupo que é especialista em aleitamento e eu contei com a experiência delas também (não é gratuito, mas nesse caso o dinheiro é um mero detalhe). Foi bem legal. Amamentar é cansativo, mas muito gratificante. Com 2 pra 3 meses comecei a ter muitas dores nas costas e com 4 meses acabei me rendendo aos remédios. Para não transferir muito para a bebê diminui as mamadas para 1 a 2 ao dia. No começo fiquei muito abalada, sofrida mesmo… porque tinha idealizado o mundo perfeito. Mas infelizmente não tinha mais como ficar sem tomar remédio, sentindo dor e me perguntava até que ponto valia a pena continuar naquela “luta” sem, ou sem tanto prazer… Fiquei com medo de não estar sendo uma boa mãe (isso para qualquer um dos caminhos que resolvesse tomar). Conversei com nossa pediatra – a pedi é da família e não só da criança…;) Falo isso porque muitas vezes somos nós que precisamos de atendimento, acalento, cuidado… – e ela me confortou, disse que eu já tinha feito muito, que os leites artificiais fariam um bom “trabalho” e que o importante era continuar o carinho e o aconchego. Fiquei de resolver. Voltei pra casa, conversei com meu coração e resolvi parar. O momento continuou existindo, mas agora o líquido não saia de mim e sim da mamadeira que eu segurava. Minha filha não pareceu sofrer muito. Me sinto guerreira e orgulhosa até porque a primeira pediatra que fui queria complementar com leite artificial logo na primeira semana. Eu achei um absurdo, resolvi insistir e troquei para a pediatra atual, que pensava igual a mim. 🙂
    Trabalhe a sua cabeça, tome sua decisão (acho que vc já tomou: que será 1 ano de amamentação 😉 ), continue dando muito amor e carinho porque isso é o que realmente importa e fique feliz.
    Estarei aqui acompanhando 🙂 ! Beijos, Fernanda

    • Priscilla Diz::

      Oi Fernanda! Tudo bem??
      Muito obrigada pelo seu relato!
      É ótimo ouvir experiências diferentes e, ao mesmo tempo, saber que não sou só eu quem sinto esse misto de insegurança, medo, dor, culpa…
      Como vc falou, temos que nos sentir guerreiras e vitoriosas por tudo o que a gente conseguiu! Se fizermos o NOSSO máximo, seja ele amamentar por dois meses, seis, um ano, dois anos, não tem pq a gente se sentir culpada!
      Parece que a gente sofre mais que os babys né? Hahaha
      Mas vai dar tudo certo! Acredita que depois que fiz esse post a Giulia diminuiu as mordidas? Acho que eu precisava desabafar! De repente isso ajudou pra eu adotar uma postura diferente frente ao que tava acontecendo e ela notou! Sei lá…hehe
      Mas obrigada pelo carinho! Fico feliz em saber que está gostando do blog!!
      Volte sempre aqui!!!!
      beijão

  7. Alline Cristine Diz::

    Oi Priscila!
    Primeiramente adoro demais esse site,vejo sempre mas essa é a primeira vez que tenho real necessidade de comentar.
    tenho dois filhos, o will de 4 anos e a livia de 2; por sorte minha meu primeiro filho não deu nenhum trabalho em amamentar, alias, me emociono ate hoje em ve-lo no hospital chegando nos meus braços e procurando o peito pra mamar, ele sempre foi muito carinhoso e teve muito cuidado com meu peito,tanto que eu o amamentei ate os 2 anos 3 meio. Já com a Lívia foi um pouco diferente, ela nasceu prematura e de cesarea,ficou 3 dias na incubadora e tomando leite pelo canudinho,quando ela finalmente foi pro quarto ela sofreu um pouco ate “pegar” de verdade no peito,quando os dentes nasceram eu sofri tbm porém toda hora que ela mordia eu tirava do peito e falava que não podia, passou aproximadamente um mes assim, ela mordendo,eu tirando e explicando, ate que finalmente ela parou de morder,infelizmente ela parou de mamar com +/- 1 ano e 2 meses pq com 7 meses ela entrou na escolinha em periodo integral e aos poucos foi ela mesmo largando o peito.
    Bom é isso espero que vc tenha paciencia com a pequena Giulia e a ensine que não pode morder, e lembre-se 1 ano de amamentação são 10 anos de prevenção ao cancer de mama, fora que você esta fazendo um bem enorme pra saude e pra imunidade dela.
    obs; minha mae me amamentou ate os 3 anos.

    • Priscilla Diz::

      Oi Alline!!! Primeiramente, muiiito obrigada pelo seu carinho! Que bom que tem gostado do blog!
      Quanto à amamentação, que ótimo vc ter conseguido amamentar um filho por um pouco mais de dois anos e outro por um pouco mais de um!
      Super vitoriosa!!! 😉
      E que bom que uma hora a Lívia entendeu que não podia morder! Com a Giulia tá difícil! Mas continuo explicando, em tom bem sério e firme!
      Mas como eu falei para a Fernanda, que também comentou aqui, depois desse post ela diminuiu significativamente as mordidas! Tô tão feliz!
      Bom, até um ano já me comprometi a aguentar! Falta só um mês! Agora, depois disso, só Deus sabe! hehe.
      Mas obrigada por contar sua experiência! Me ajuda muiiiito!
      beijos!

  8. Náy Diz::

    Parabéns pelo blog!Estou grávida de 22 semanas e desde que descobri a gravidez, dou uma passadinha aqui.Acho muito bacana a maneira honesta e bem humorada com a qual você fala da maternidade.Até já indiquei o blog para outras mães de primeira viagem como eu .
    Continue nos enriquecendo com os seus relatos!
    Ah, e a Giulia é muuuuuuuuuuuuito fofa!!!Adoro bebês gordinhos e estou torcendo para o meu também seja assim.
    Bjs

    • Priscilla Diz::

      Ounn Náy, que querida!!!!
      Muito obrigada por todos os elogios!
      Pode deixar que relatos sinceros não faltarão aqui no blog!
      E que seu baby venha lindo, gorducho e cheio de saúde!
      Beijão

Deixe seu comentário

*