As Papinhas Salgadas

Antes mesmo da pediatra da Giulia liberar as papinhas salgadas, eu já pesquisava bastante sobre o assunto! Então quando ela deu sinal verde para complementar a alimentação dela, eu já tinha uma boa ideia de que forma faria a introdução desses novos alimentos!

Mas, para minha surpresa (no mau sentido), ela disse que o ideal, pelo menos no início, era bater todos os ingredientes da papinha no liquidificador, formando uma pasta que, em minha humilde opinião, tem cor e consistência parecida com cocozinho mole de neném. Eca! Pensei meu Deus, como assim? Tudo o que li até hoje sobre consistências de papinha é pura balela ou a médica da Giulia é quem não se atualiza?

Confesso que fiquei um tanto decepcionada, mesmo a considerando uma excelente médica, sempre muito atenciosa, acessível e coerente em alguns (alguns!) aspectos.

Bom, mas a questão é a seguinte: Todos os artigos de pediatras, nutricionistas, fonoaudiólogos, reportagens e matérias de revistas, sites e blogs e, por fim, livros de puericultura me diziam que eu NÃO deveria usar o liquidificador de maneira alguma! A papinha deveria ser amassada com garfo!

O uso do liquidificador não é indicado por diversos motivos:

  1. Deixa a criança “preguiçosa” e mal-acostumada com a consistência líquida, o que torna difícil (muito difícil) a transição para os alimentos sólidos, em pedaços;
  2. Não permite a visualização e distinção dos alimentos. Afinal, nós também comemos com os olhos não é mesmo? E, convenhamos, tem coisa mais feia do que papinha batida no liquidificador? Por mais que você mude os ingredientes a papinha fica SEMPRE igual;
  3. Não estimula o exercício dos músculos da face e o processo de mastigação, super importante para o desenvolvimento da fala.

Bom, levando tudo isso em consideração, resolvi seguir meu coraçãozinho de mãe e ir contra a opinião da pediatra da pequena: nada de papinha batida no liqui!

No começo eu oferecia um alimento de cada vez, pois queria ver primeiro como era a aceitação dela com cada um! E, além disso, tinha medo dela apresentar alguma alergia ou qualquer outro tipo de intolerância e eu não conseguir identificar qual foi o alimento responsável. Então um dia era batatinha amassada, no outro chuchu, no outro beterraba e por aí vai. Hoje já ofereço vários alimentos juntos em uma única refeição.

Em relação às carnes, confesso que apenas nessa última semana é que passei a introduzi-las, mas na verdade a Giulia nunca as comeu de fato! Apenas cozinho os legumes junto com a carne e depois de tudo pronto deixo a carne de lado. Então, até hoje ela só provou o “caldinho”, digamos assim! Mas essa semana, iniciaremos com os pedacinhos de frango e músculo. Vamos ver o que ela vai achar de tudo isso! Hehe.

Em relação aos temperos, primeiramente, faço as papinhas praticamente sem sal! Coloco uma pitada mínima…mínima MESMO! Tempero com alho, cebola e, de vez em quando (ou de vez em sempre), uso algumas ervas como cebolinha, salsinha, coentro, etc. É claro que uso o bom senso e não tempero demais, uso tudo de forma bem moderada! Mas fica tão gostosinhoooo, o cheirinho então… E, para finalizar, coloco um fio de azeite extra virgem (Amo! Sou mega viciada). Nunca, em hipótese alguma, uso pimenta do reino, sazon, curry, caldo de carne, etc.

Bom, até hoje, os alimentos que a Giulia provou foram:

Batata, beterraba, chuchu, cenoura, abóbora, abobrinha, inhame, brócolis, caldinho de feijão, cebola, alho, cebolinha, coentro, salsinha, “cheiro de frango” e “cheiro de carne bovina” (Hahaha). Mas hoje fui ao mercado e já comprei novos ingredientes como mandioca, macarrão de letrinhas, etc.

É claro que tem também as frutinhas (sobremesa e lanchinho da manhã e da tarde) como mamão, pera, banana, maça, laranja lima, etc.

A Giulia ainda não come muito bem, tem dias que ela aceita cinco colheradas, tem dias que aceita três e outros que aceita duas, para a frustração da mamãe que passa horas cozinhando com o maior amor e carinho! Hahaha! Mas aos pouquinhos acredito que ela vai se adaptando!

Ainda quero falar mais sobre essa questão da alimentação, são tantas dúvidas, assuntos polêmicos, dicas, receitas e etc., que sinto que não posso parar por aqui!

Então aguardem as cenas dos próximos capítulos!

papinha bebe

Nessa foto a Giulia estava com quatro meses e tinha começado a experimentar algumas frutas! Coisa maixxxxx linda do mundo não? Hahaha!

Seja o primeiro a curtir.

Psicóloga. Apaixonada por cinema, viagens, gastronomia e decoração. Mamãe da Giulia.

Comentários

  1. ANA CAROLINA MARRA PIMENTA RODRIGUES Diz::

    Oi queridas! Amei o blog. Já curti vcs no face e estou acompanhando todas as informações. Gostaria de trocar idéias sobre o sono dos bebês. Estou na minha primeira experiência de mãe e estou apanhando nesse assunto. Me ajudeeeeem…rs..obrigada. Bjinhos

    • Camila Diz::

      Oi Ana,
      Que bom que você tem acompanhado o blog, fico feliz que esteja gostando!
      Pode deixar que em breve eu e a Pri elaboramos um post sobre o sono dos bebês. Mas nos diga uma coisa, quais são suas dificuldades?
      Beijos 😉

Deixe seu comentário

*