Dica de Páscoa: Caça ao Tesouro.

Uma das melhores lembranças que eu tenho das Páscoas que passei na minha infância foram os Caça ao Tesouro que minha mãe preparava. Eu e meus irmãos acordávamos e já encontrávamos alguma pista no nosso quarto, patinhas de coelhos espalhadas pela casa indicando uma parte do caminho, ovinhos coloridos para decorar e no final a tão esperada cesta com os ovos de cada um! Depois meu irmão mais velho cresceu mais e começou a ajudar minha mãe a preparar os caça ao tesouro, ele fazia cada coisa… a gente se matava de rir! Lembro que a gente nem comia tanto o chocolate, o legal mesmo era a busca pelos ovos! Como era bom e como ficou marcado na nossa memória!

Por isso, hoje a minha dica é o Caça ao Tesouro de Páscoa! Se foi tão marcante para mim tenho certeza que será para os pimpolhos de vocês também! Muitas crianças não podem comer chocolate pela idade, por questões de saúde ou porque não conseguem comer muito (que era o meu caso, não sou muito de chocolate gente!), a criançada gosta mesmo é da diversão, muitas vezes elas se interessam mais pelo brinquedo que vem dentro do ovo do que pelo chocolate. E porque não incrementar essa diversão e tornar essa Páscoa inesquecível? Fiquem com algumas dicas mas vale usar a criatividade para montar o seu caça ao tesouro!

Para começar você pode colocar pistas escritas para a criança ler (quando ela já sabe) ou ler junto com ela.

pista 2

Caso a criança não saiba ler ainda você pode fazer o caminho com patinhas ou fazer das patinhas uma parte das pistas.

pegadas Você pode fazer um mini teatro com fantoche para dar pistas ou entreter a criança.fantoche+coelho+páscoa+moldes A decoração faz a criança entrar no clima e mergulhar nesse universo da Páscoa!jb211_43-c-narratives-_-jan-baldwin_article_banner_img c-tch.p-patchwork-button-hanging-egg-decorations-2.99-each_article_banner_img mesa O tesouro pode ser apresentado de diversas formas, em saquinhos personalizados, em cestas, em baús, etc. pacotinhossaquinhosdoces

Você pode caracterizar a criança com orelhas ou pintura no rosto, elas adoram! Além disso, muitas crianças adoram contato com os bichinhos né? Uma idéia é levar um coelho de verdade para a criança ver, tocar, sentir o pelo fofinho. Elas adoram também! Mas certifique-se que é um animal “confiável”, bem cuidado e limpo (nada de correr riscos com os pequenos hehe!).
tesouro

Eu sei que está meio em cima da hora mas ainda dá tempo!

Feliz Páscoa a todos vocês! Muitos chocolates e muita diversão!

Uma pessoa curtiu.

Como encontrar um bom pediatra?

Pediatra

Anteontem saí meio frustrada de uma consulta com um pediatra novo e resolvi fazer esse post pra desabafar um pouco! Mas o post não serve só como desabafo, serve para ajudar as gravidinhas e mamães a fazerem uma boa escolha de médico para seus pimpolhos!

Bom, deixa-me contar um pouquinho da nossa história! Logo que a Giulia nasceu, consegui marcar uma consulta com uma pediatra que foi muito bem indicada por várias pessoas que conheço (e até mesmo por quem não conheço – os benditos amigos virtuais. Rs)! Com sete dias de vida, levamos a baixinha à primeira consulta!

A médica foi excelente! Super atenciosa! Me falou absolutamente TUDO o que eu precisava saber, tirou todas as minhas dúvidas e me tranquilizou bastante em relação às minhas angústias de mamãe fresca! Saí de lá super confiante!

Como alguns já sabem, a Giulia teve icterícia quando nasceu e nessa primeira consulta a médica achou que ela ainda estava muito amarelinha e que seria importante voltarmos lá no hospital para fazer uma nova medição da bilirrubina. É claro que, depois da consulta, fomos correndo lá no hospital. Graças a Deus estava tudo ok! Mas acreditam que a médica me ligou no dia seguinte para saber como ela estava e qual tinha sido o resultado? Achei muito bacana da parte dela! Esse fato me cativou ainda mais! Além disso, ela SEMPRE atendia meus telefonemas! Sempre liguei no celular pra tirar todos os tipos de dúvidas e ela nunca sequer me deixou esperando na linha!

O problema é que com o passar dos meses eu comecei a discordar um pouco de alguns procedimentos dela! Ela dizia que eu devia bater a papinha no liquidificador, ficava receitando DIRETO micostatin para tratar as assaduras feias que às vezes a Giulia tinha (sei lá, não achava legal isso não!), sem contar que no que se refere à alimentação da baixinha, ela me deixava totalmente às escuras! Não me esclarecia as coisas direito, não me dizia o que eu podia oferecer, o que não podia… Se eu não ficasse perguntando, ela não me dizia nada! Totalmente diferente do que tinha sido nas primeiras consultas!

Foi aí que resolvi procurar um novo pediatra! Por indicação de uma amiga minha chegamos ao segundo médico, dessa vez do sexo masculino! Esse novo médico foi bem atencioso! E o mais bacana: examinou a Giulia de uma forma tão delicada e carinhosa que a baixinha se sentiu super à vontade! O problema é que ele disse que a Giulia já podia comer a mesma comida que a gente. Inclusive, eu poderia usar leite de vaca normal para preparar molhos brancos, purê, etc. Mas pensem na mega alergia que a pequena teve quando fiz um purezinho de batata com leite! Ficou cheia de placas vermelhas no corpo, que no dia seguinte formaram umas micro bolhas de água! Fiquei meio decepcionada! Achei que o médico poderia ter, pelo menos, me alertado dessa possibilidade, ele falou de uma forma tão confiante que não pensei duas vezes! De qualquer forma, resolvi dar um voto de confiança. Numa segunda consulta, esclarecemos tudo e vimos que se tratou de um mal entendido! Hoje até tenho dúvidas se a alergia foi ao leite mesmo…a baixinha já consumiu outros derivados do leite, como iogurte natural, por exemplo, e nunca aconteceu nada! Enfim, tudo esclarecido, saí bem animada e confiante da última consulta!

A questão é que sempre escutava falar muito bem de um outro pediatra! Já tinha lido várias indicações em blogs, fóruns, etc. E, além disso, algumas amigas começaram a citar o nome dele, me dizendo que seria interessante eu marcar uma consulta! Numpodesê, o mundo tava conspirando para que eu levasse a pequena lá! Hahaha! Peguei o telefone e marquei! Achei que encontraria minha alma gêmea… Haha! Um médico de confiança, para cuidar da minha filha durante anos e depois cuidar dos filhos dela e dos filhos dos filhos dela e por aí vai! (Se ele vivesse por uns 300 anos, quem sabe! O cara já tá velhaco!) Hahaha! Bom, mas criei A expectativa!

Daí que a consulta foi anteontem e como já falei lá no começo, saí de lá muito frustrada! Em primeiro lugar, a consulta demorou DEMAIS! Estava marcada para às 16h e ele só nos atendeu depois das 17h. A Giulia já estava super irritada e manhosa porque já tinha passado do horário da soneca da tarde! Eu sei que pediatra costuma atrasar por todas as particularidades e imprevisibilidades de um atendimento infantil, mas poxa…Nunca esperamos tanto tempo para uma consulta! Aí quando nos chamaram, nós fomos para a sala e uma assistente (uma senhora de idade) começou a tirar as medidas da Giulia: altura, perímetro cefálico, peso, etc. O problema é que, apesar de muito simpática, a mulher não tinha o menor jeito com a baixinha. Tirou as medidas bem mais ou menos!
Logo depois veio o Dr.! Achei ele super simpático, querido e até engraçado…disso não tenho do que reclamar! Mas, assim como a assistente, examinou a Giulia de um jeito todo desajeitado! A sala dele não tinha nenhum brinquedinho de criança…O pediatra anterior, que citei ainda a pouco, tem sempre um monte de brinquedinhos em cima de uma bancada! Quando vamos lá ele entrega um na mãozinha da Giulia, conversa com ela, a deixa bem tranquilinha e a examina com todo o cuidado e carinho! A Giulia nunca chorou, pelo contrário, sorri e brinca… Já esse médico que fomos, não tentou em nenhum momento acalmá-la… Eu que tive que ficar lá tentando! A baixinha berrava… Nossa, chorou demais!

Além disso, ele ficou de receitar uma pomada, mas esqueceu. Aí quando estávamos quase indo embora e eu perguntei: “e a receita da pomada doutor?”, ele soltou um: “ãh, que pomada???”. Nossa, totalmente perdido! Haha!

Não sei, fiquei com uma impressão muito ruim! Meu marido também não curtiu nem um pouco! Então combinamos de não voltar mais lá!

Ficaremos com o segundo pediatra mesmo, que, depois dessa experiência esquisita e ruim com o novo médico, se tornou um verdadeiro anjo nas nossas vidas! Haha!

Bom, pensando em tudo isso, queria listar algumas coisas que considero super importantes a serem consideradas na escolha do pediatra:

  • Ser simpático, querido e ter jeito com criança. Pediatra tem que gostar de criança e ponto final! Mas só gostar não basta, tem que ter tato com ela;
  • Estar sempre disponível – Responder suas dúvidas, atender telefonemas (inclusive repassar o telefone celular para emergências), responder e-mails, etc.;
  • Ser atencioso e oferecer uma consulta de qualidade, explicando bem direitinho a fase em que o bebê se encontra, perguntando coisas referentes ao seu comportamento e desenvolvimento, respondendo às milhares de perguntas e se mostrando interessado pela criança de uma forma geral!
  • Ser cuidadoso e carinhoso ao examinar a criança;
  • Ter interesse pelo histórico da sua gravidez ou histórico de vida da criança – Esse último médico que fomos, por exemplo, sequer perguntou se a Giulia mamava no seio ou se tomava leite artificial;
  • Ter consultório com decoração lúdica – Acho importante ter brinquedinhos e quadros/figuras que deixam a criança entretida e, portanto, mais feliz e tranquila;
  • Ter consultório limpo e em bom estado de conservação;
  • Lavar as mãos antes e depois de cada atendimento;
  • Ter cuidado para não atrasar muito as consultas! Além de ser um desrespeito com quem marcou, chegou no horário e está ali esperando, é um tremendo martírio para a criança, que fica irritada por esperar tanto tempo;
  • Ter experiência e se manter sempre atualizado;
  • Seguir a mesma linha, ou melhor, a mesma filosofia que a sua. Por exemplo, você é a favor do uso indiscriminado de antibióticos ou prefere seguir uma linha mais natural? Você é a favor do aleitamento materno ou não levanta tanto essa bandeira e não se importa em oferecer leite artificial? Você acha que colo só estraga ou acredita que quanto mais amor, carinho, dengo e colinho der, melhor? Etc, etc, etc;
  • O consultório estar localizado em local de fácil acesso e com estacionamento próximo ou vaga disponível na rua;
  • E por último, é necessário o “santo bater”, se não bater, esquece! Você nunca vai confiar na criatura!

Na verdade, eu até acrescentaria mais coisas nessa lista, mas vocês me chamariam de chata, fresca e exigente! Hahaha!

Mas e aí mamães, concordam? Acrescentariam ou tirariam algo? E vocês, são apaixonadas pelo pediatra de seus filhos? Contem tudo!

4 pessoas curtiram.

Ensaio Arthur – 2 meses

Tenho mais um ensaio de um bebê fofinho para vocês!

Para quem não sabe eu também faço trabalhos como fotógrafa e esse trabalho em especial é algo novo pra mim. Estou fazendo sessões de acompanhamento com o Arthur! O acompanhamento consiste em sessões mensais durante o primeiro aninho da criança (coisa mais fofa meu Deus!), dessa forma as mamães tem o registro mensal do desenvolvimento dos seus bebês, que no primeiro ano acontece de maneira bastante rápida e cheias de surpresas. Os ensaios podem ser feitos mensalmente ou a cada 3 meses, fica a critério de cada mãe. No caso do Arthur, não conseguimos fazer a sessão do primeiro mes, mas a partir de agora faremos ensaios mensais! Já fotografei os pais do Arthur enquanto ainda esperavam pela chegada desse principezinho amado, você pode conferir clicando aqui.

Selecionei algumas fotos para postar hoje, mas você pode ver o ensaio completo no meu site.

arthur2meses (2 de 32) arthur2meses (20 de 32) arthur2meses (26 de 32) arthur2meses (18 de 32) arthur2meses (16 de 32) arthur2meses (12 de 32) arthur2meses (6 de 32) arthur2meses (7 de 32) arthur2meses (32 de 32) arthur2meses (31 de 32)

6 pessoas curtiram.

Kit de potes Take & Toss – The First Years

potes take & toss

Hoje vim trazer uma dica de um produto que gosto e uso bastante aqui em casa: o kit de potes Take & Toss – The First Years.

Eu simplesmente amo esses potinhos! Eles podem ser usados no microondas, no freezer, na máquina de lavar, etc. São bem resistentes! Eles são vendidos em dois tamanhos: 133 ml e 236 ml. Tenho ambos, mas prefiro o menor, por dois motivos: primeiro porque a Giulia come bem pouquinho, então se armazeno a comida no maior, sempre sobra bastante coisa e segundo porque são mais fáceis de serem carregados na bolsa.

Eu costumo ter sempre uma comidinha congelada em casa. Sabe aqueles dias em que você não tem tempo nem pra respirar e precisa recorrer a algo rápido e prático? Então…eu recorro às comidas que congelo! Antes eu comprava uma papinha da Nestlé mesmo, mas nada como uma comida caseira né? Basta se organizar para ter sempre algo para o bebê em casa. Organização é tudo pessoal! Comprei esses potinhos justamente quando resolvi me organizar! O que eu faço: preparo qualquer tipo de comida: Creme de milho, frango desfiado com molho de tomate caseiro, carne moída, canja, legumes refogados, creme de beterraba com cenoura, etc; separo em porções, armazenando-as nos potinhos Take & Toss; escrevo a data que fabriquei o alimento e coloco tudo no freezer.

Quando quero oferecer a comida para a pequena, apenas tiro a tampa e coloco no microondas! Tá, eu sei que o ideal seria descongelar em banho maria, que o microondas além de não descongelar de forma uniforme o alimento, pode ser nocivo a saúde e blá, blá, blá. Mas né? Não tenho saco não minha gente! Ainda não consigo ser perfeita! Acho um porre descongelar comida em banho maria, muito demorado! Tasco no microondas mesmo! hahaha.

Bom, também uso os potinhos quando quero levar algum lanchinho para um passeio. Às vezes coloco bolacha maisena,  às vezes pão bisnaguinha, às vezes frutas desidratadas, etc. Eles são maraaaa! 😉

O único inconveniente, na minha opinião, é o preço! Meio salgadinho! Mas, que produto para bebê é barato aqui no Brasil, não é mesmo? Apesar de ser caro, é excelente. Olha que já experimentei outros potinhos parecidos! Esses são bem mais resistentes! E o melhor de tudo pessoal: é BPA free ou livre de Bisfenol A. Pra quem não sabe, Bisfenol A é um produto químico usado na fabricação de plásticos que pode ser muito nocivo à saúde, podendo provocar câncer, problemas neurológicos, disfunções hormonais, etc, etc e etc. A substância já é proibida em vários países. Então acho que não custa cuidar né?

Eu achei melhor gastar um pouquinho mais e fazer minha parte no que se refere à saúde da minha filha do que comprar potinhos do 1,99 mesmo e arriscar ter algum problema futuro por causa do tal do BPA.

Tá, eu sei que alguns vão me chamar de fresca e exagerada! Mas, enfim…os potinhos são ótimos! Vale a pena testar!

4 pessoas curtiram.

Situações engraçadas envolvendo o nº 2

bebe e coco

Ontem eu estava trocando a fralda da Giulia e lembrando de umas situações engraçadas que já passamos por aqui! Haha! Eu sei que esse post vai ficar meio nojento. Portanto, se você estiver acessando o blog na hora do almoço, do lanche ou da janta, NÃO leia! Hahaha! Gente, como que pode nós, mães, passarmos grande parte das nossas vidas (exageradaaaaa!) limpando bunda de cocô? São pelo menos dois anos nessa função nada agradável, digamos assim! Nos primeiros meses, apesar de ter passado por uns perrengues que já já eu conto, acredito ser bem mais fácil realizar essa tarefa! O bebê não se mexe e o cocozinho não é fedido! Chega a ser cheiroso! Hahaha! Mas depois que eles começam a comer comidinhas, deusolivre! Sai de perto! Aqui em casa é um empurra-empurra pra decidir quem vai trocar a fralda! Mas é claro que sempre sobra pra mamãe aqui, a trocadora oficial!  Meu marido foge da troca como o diabo foge da cruz! Mas eu o compreendo! A Giulia ODEIA trocar a fralda e faz de tudo para impossibilitar essa tarefa! Que coisa! Às vezes dá uma raiva…você quer usar o lenço umedecido e ela tenta pegar e pôr na boca, você quer colocar a fralda nova embaixo do bumbum e ela simplesmente levanta, você quer fechar a fralda e ela rola pro lado! O que poderia durar uns 2 minutos, dura uns 20 (exageradaaaaa again). Bom, mas vamos às situações engraçadas:

  • Um dia estávamos sozinhas em casa e notei que já estava na hora de trocá-la. Não tinha cocô, mas a fralda já estava cheia de xixi! A Giulia tinha apenas um mês de vida e eu ainda a trocava em cima da cômoda! Então lá fomos nós! Abri a fralda suja, limpei as partes íntimas com algodão e água morna, passei pomada no bumbum e quando estava quase terminando, veio o míssil! Cocô em jato (nova modalidade! Uhuu! Hahaha)! Cara, foi um jato tão forte e com tanto cocô que sujou o quarto todo! Sem brincadeiras! Sujou toda a minha roupa, a cômoda, o chão, a parede…TUDO! Fiquei desesperada…Não sabia o que fazia primeiro, se terminava de limpá-la, se me limpava, se limpava o quarto! haha! Óbvio que o mais sensato a fazer era terminar de trocá-la e depois limpar o resto! E foi o que eu fiz…Mas o estrago foi tão grande que tive que levá-la pro banho! Depois de limpinha e cheirosinha, lá fui eu limpar toda aquela cocozada! Mas não pensem que esse episódio ocorreu apenas uma vez! Foram váaaaarias vezes! Essa foi apenas a primeira; 
  • Teve uma época que o cocô da Giulia insistia em vazar pelas costas! Ai que ódio! Sujava toda a roupa, ia cocô quase na nuca dela e eu tinha que dar aquele banho toda vez que isso acontecia! Eis que um dia, estávamos em um almoço no salão de festas do prédio da minha amiga e uma outra amiga estava feliz e faceira segurando a Giulia no colo! Elas estavam sentadinhas e a baixinha estava de costas pra ela! Conversa vai, conversa vem, começamos a sentir um cheirinho nada agradável! “Ihh, acho que a Giulia fez cocô!”, falei! Quando tirei a pequena do colo da minha amiga, quase caí pra trás…a Giulia tinha cocô quase até o cabelo e a blusa da minha amiga estava inteira cagada! Hahahahahahaha! A sorte é que essa minha amiga é como uma irmã, se fosse outra pessoa eu teria cavado um buraco e enfiado minha cara dentro! Gente, foi um caos! Um bando de mulheres subiu no apartamento da anfitriã para ajudar na difícil tarefa de limpar a Giulia! Tivemos que dar um banho, claro! E a minha amiga conseguiu uma blusa emprestada! Ufa, tudo resolvido! Imagina se tivesse acontecido num restaurante, num shopping, etc? Estávamos lascadas! Na verdade, até chegou a acontecer….mas dessa vez apenas a baixinha se sujou, ninguém mais! Não preciso dizer que tive que dar um banho nela no shopping também né? Sabem aquelas duchas que eles disponibilizam nos fraldários? Então…viramos grandes amigas! haha;
  • Há pouco tempo atrás coloquei no pé da Giulia uma sapatilha da Puket para saírmos! A sapatilha tinha um monte de mini strass na tirinha. Bebê devidamente instalado no bebê conforto, saímos rumo ao nosso destino! Tô lá toda distraída, quando de repente viro pra trás e vejo a danadinha com a sapatilha na boca (Ela adora arrancar do pé sapatilhas e sapatos para devorá-los). Até aí tudo bem, nem lembrava que tinha strass! Quando me injuriei e tirei a sapatilha da boca dela, quase dei um berro! Tava faltando uma fileirona de strass! “Jesus, essa menina comeu tudo!” Tentei tirar alguns da boca dela, mas não teve jeito. A maioria ela tinha engolido! Tentei desencanar! No dia seguinte, eis que me deparo com o cocô mais lindo do mundo! Cocô brilhante, reluzente, cravejado de diamantes, ops, strass de quinta categoria! Hahahaha.

Ai amores, são tantas histórias! A Giulia já aprontou muito! Já fez cocô na mão da minha mãe, quando ela a segurava recém-nascida para dar banho, já pisou mil e quinhentas vezes na fralda suja de cocô (que ódio! sabe quando você abre a fralda e a criança resolve contrair a perna e enfiar o pézão no meio do cocô? A Giulia ama fazer isso), já quis pegar a fralda suja e colocar na boca…

Poderia passar horas contando todos os causos! Hahaha! Mas acho que tá bom né? Muita nojeira para um post só!

E vocês, que situações engraçadas já passaram com os pequenos envolvendo o número dois?

Contem vai!!!! =D

3 pessoas curtiram.